bloqueador --> bloqueador

Câmara ganha mais um meio de divulgação dos trabalhos dos parlamentares


As reuniões das Câmaras de vereadores, de João Monlevade e Itabira, contam agora com mais um meio de comunicação para levar à população as informações sobre os atos dos parlamentares.

Todas as reuniões serão filmadas, através de uma trabalho independente, e após passar por uma edição, os vídeos serão postados em um site, com domínio ainda a ser definido.

A equipe coordenada pelo produtor Emerson Duarte, conta com duas câmeras de alta definição e uma equipe treinada. O jornalista Everton Elias, ficará a cargo das entrevistas.

Segundo Emerson Duarte, o projeto inovador é uma parceria com o “Grupo Hora H de Comunicação”, de Itabira, que possui jornais impressos Diário de Itabira e, em João Monlevade, o jornal Diário do Vale.

Os parlamentares aprovaram a iniciativa e elogiaram o novo projeto.

Segundo o vereador e presidente da Câmara de João Monlevade Djalma Gomes Bastos (PSD), novo empreendimento vem para somar com os demais órgãos de imprensa da cidade. “É um projeto independente e acredito que vai contribuir muito para levar mais informação à população. A imprensa de Monlevade já faz um trabalho maravilhoso e o Luiz Miller e sua equipe vem para somar, e com isso ganha a população que tem mais uma opção de se manter bem informada”, disse Bastos.

Sinval Dias (PSDB) também elogiou a imprensa de João Monlevade e disse que é uma das poucas do estado, que realiza a cobertura das reuniões semanalmente. “A imprensa de João Monlevade é uma imprensa séria, que leva a informação com transparência para o cidadão. Agora que vamos ter também a imprensa televisiva, vai ficar melhor ainda”, disse. Belmar Diniz (PT) também comentou sobre o novo empreendimento do Grupo Hora “H”. “Quero parabenizar oi Luiz Miller e toda sua equipe que está aqui fazendo a cobertura da nossa reunião, espero que seja proveitoso. É uma forma de levar os nossos trabalhos à toda sociedade, para conhecer seus representantes e a intenção de cada um em prol da cidade”, concluiu Diniz.

Cancelamento de cirurgias em hospitais da Capital preocupa vereadores

O cancelamento pela Prefeitura de Belo Horizonte das cirurgias eletivas para pacientes que não residem na capital preocupa os vereadores de João Monlevade, já que pacientes da cidade ficarão sem atendimentos.

Os parlamentares estão temerosos também que moradores dos municípios da região sobrecarreguem o Hospital Margarida para a realização dos procedimentos. A medida está em vigor e ocorre devido redução de R$ 4,5 milhões mensais para o custeio das operações na capital.

O vereador tucano, líder do prefeito Teófilo Torres na Câmara, Sinval Dias (PSDB), que também integra a Comissão de Saúde do Legislativo disse que irá procurar a Amepi para que juntos encaminhem um ofício à Assembleia Legislativa de Minas pedindo esclarecimentos sobre o assunto. “Somos representantes do povo e precisamos dar uma resposta para a população”, disse o vereador que completou: “eram 60 hospitais na capital que realizam estas cirurgias.

Só no ano passado foram mais de 20 mil atendimentos, sendo 40% de cidades do interior”. “A suspensão vai sobrecarregar João Monlevade, que é cidade polo. Os municípios menores vão recorrer ao Hospital Margarida”, disse preocupado o vereador Leles Pontes (PRB).

O corte

 De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de BH, a padronização em relação ao repasse dos recursos para o Programa de Incentivo às Cirurgias Eletivas, anunciada pelo Ministério da Saúde, deverá representar uma redução de R$ 4,5 milhões mensais para o custeio das operações na capital. Ainda segundo a nota, a Secretaria de Saúde disse que está em diálogo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) e com o Ministério da Saúde para manter a continuidade ao Programa de Cirurgias Eletivas em toda a sua capacidade, atendendo também a não residentes da capital.

Mulher fingiu gravidez para não perder marido e precisava de um bebê

A morte da grávida Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, desaparecida na última sexta-feira (26) e encontrada apenas nessa terça-feira (30), sem o bebê, foi esclarecida pela Polícia Civil nesta quarta-feira (1°).

Em uma reconstituição do crime, Gilmária Silva Patrocínio contou como assassinou a vítima para roubar a criança.

Segundo o delegado de homicídios Silvério Rocha Aguiar, a versão apresentada por Gilmária, que é cuidadora de idosos, é a que mais se aproxima da verdade. Ela conta que já tinha quatro filhos com outra pessoa, mas com medo de perder o atual marido, fingiu que estava grávida, apesar de já ter ligado as trompas.

Ela passou nove meses simulando a gestação, até a última sexta-feira, quando abordou a vítima na saída do hospital. Patrícia e Gilmária já se conheciam, de uma ocasião em que Gilmária colocou um piercing em Patrícia a pedido dela. Na saída do hospital, Gilmária contou que tinha um berço e roupas de bebês para doar á vítima e, assim, a atraiu para a Fazenda Estivas, local próximo a onde aconteceu o crime.

Ao chegar no imóvel abandonado, onde funcionava um hospital, Gilmária pegou um pedaço de pau e atingiu Patrícia na cabeça. A suspeita usou a bolsa da vítima para amarrar as mãos dela para trás. Depois ela deu um golpe com o pedaço de madeira no pescoço da grávida, que ficou desacordada. Com um gilete, Gilmária fez duas incisões na barriga da mulher, retirou o bebê do útero e o enrolou na placenta. Depois ela colocou a criança em um pano, pegou um táxi e foi para a casa.

Gilmária conta que fez tudo sozinha, mas a polícia ainda investiga a participação de outras pessoas no crime. O outro suspeito que foi detido, de 39 anos, disse que não tem nada a ver com o crime, que é um morador de rua, mas conta que passava perto do local na ocasião e viu um homem e uma mulher carregando um corpo. Em outra versão, no entanto, ele conta que foram dois homens e uma mulher carregando um corpo.

O falso parto 

Na sexta-feira, ao chegar em casa com o bebê, Gilmária ligou para o marido, que estava no trabalho, e disse que estava tendo contrações.

O homem disse que não tinha como sair do trabalho e falou para a mulher ligar para os bombeiros. Quando os bombeiros chegaram, ela estava com criança no colo. O bebê recebeu os primeiros socorros e ele e a mulher foram levados do hospital.

Um médico da unidade que consultou a mulher concluiu que seria impossível que ela tivesse acabado de ter um filho. Juntando o fato de que a mulher era uma falsa grávida e que uma verdadeira grávida havia desaparecido no mesmo dia na cidade, a polícia concluiu que se tratava da principal suspeita do crime.


Duas testemunhas também viram uma mulher com as características de Gilmária junto com Patrícia nas proximidades da Fazenda Estiva, no dia do crime.

O delegado esclarece que depois de a suspeita apresentar várias versões do crime, essa última é que a mais se aproxima da verdade. O marido de Gilmária foi ouvido e liberado. Ele conta que a mulher não apresentava todos os sintomas de gravidez, mas que ele nunca desacreditou que ela pudesse não estar grávida.

Exame de DNA

O delegado pediu urgência no resultado do exame de DNA da criança encontrada com a cuidadora de idosos. Familiares de Patrícia e seu companheiro já disponibilizaram material genético para a realização do exame.

Entenda o caso

Na última sexta-feira (26), Patrícia, aos 9 meses de gestação, saiu de sua casa por volta de 7h30 no bairro Cidade Nova para ir ao hospital Nossa Senhora das Dores, no centro de Ponte Nova. Ela foi vista entrando e saindo sozinha do local, mas depois disso, não havia sido mais localizada.

A família então registrou queixa sobre o seu desaparecimento. Aquela seria a última consulta de pré-natal antes de Patrícia ter o bebê, um menino. Nessa terça-feira (30), o corpo de Patrícia foi encontrado perto de uma caixa d´água, no bairro Vale Verde, um bairro de ligação à zona rural da cidade, afastado do centro. Perto do local, havia uma lavanderia abandonada onde foram encontrados restos de comida, cobertor, um papelão, e outros indícios de que a vítima havia sido mantida em cativeiro antes de ser assassinada.

O corpo estava com a boca amordaçada com uma fita adesiva, mãos e pés amarrados, um corte no pescoço e outro grande corte na barriga, semelhante a uma cesária. O bebê havia sido retirado do ventre da mãe. Já na manhã desta quarta-feira, a polícia prendeu três suspeitos do crime, inclusive Gilmária, que confessou por volta de 15h a autoria do crime e o motivo: queria ficar com o bebê. A criança que estava com ela está em um local seguro, segundo a Polícia Civil.

Mudança no link da rádio do blog O Popular

A partir de hoje (1º), o internauta que acessa o blog O Popular diariamente passa a ter a opção para ligar a Rádio “Só Kakareco”, clicando no player na barra lateral da nossa página.

No modo anterior quando a página era aberta a rádio entrava automaticamente, o que contrariava muitos internautas.

Como a rádio tem um público grande, optamos pela mudança mantendo a qualidade e uma programação tocando as músicas dos anos 70, 80 e 90.

Menor tenta matar desafeto no bairro Petrópolis, em João Monlevade

Um homem foi baleado por volta das 21h da noite desta terça-feira (30), na Rua Marques de Tamandaré, no Bairro Petrópolis, em João Monlevade.

Caio Ferreira Silva, 19, foi alvejado por menos cinco disparos de arma de fogo. Segundo a Polícia Militar a vítima foi encontrada caída ao solo e ainda consciente. Uma equipe do Sevor (Serviço Voluntário de Resgate) compareceu ao local e encaminhou Caio Ferreira ao Hospital Margarida em estado grave, onde foram constatadas três perfurações na cabeça, um disparo de raspão no peito e outra perfuração no braço esquerdo, que provocou uma fratura.

Sobre a motivação e autoria da tentativa de homicídio, a polícia foi informada que o autor seria um menor de 17 anos, morador do Bairro Petrópolis, que vinha ameaçando a vítima. Caio Ferreira Silva, transitava pela rua quando de repente surgiu o autor, que sacou um revólver da cintura.

A vítima percebendo a ação correu e tentou se abrigar em um bar, onde acabou sendo alvejada pelo autor. A perita Karina Martins da Costa Alves, da Polícia Civil foi acionada e compareceu ao local. A Polícia Militar realizou intenso rastreamento, porem até o momento o autor não foi encontrado.

Grávida é achada morta e com um corte na barriga em Ponte Nova; bebê desaparece

A Polícia Civil de Ponte Nova, na região da Zona da Mata mineira, investiga o assassinato de uma grávida que teve o bebê roubado.

O corpo de Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, foi encontrado nesta terça-feira (29) em uma mata na Fazenda da Estiva, na zona rural do município. Segundo o delegado Silvério Rocha, a vítima estava amordaçada e com os pés e mãos amarrados.

Ela tinha um corte profundo na barriga e o bebê da vítima desapareceu. Patrícia estava grávida de oito meses e desaparecida desde a última sexta-feira (26), quando foi consultar no hospital da cidade. Imagens das câmeras de segurança da instituição de saúde mostram ela entrando e saído do hospital sozinha.

 O corpo da vitima foi periciado, mas a causa da morte ainda não foi determinada. O cadáver, que foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) da região, será necropsiado. Além da autoria e motivação do crime bárbaro, a polícia procura também pelo bebê da vítima.

Nova Era também deve implantar sistema "Olho Vivo" na cidade semelhante ao modelo de Iapu

O modelo de monitoramento por câmeras no centro comercial da cidade de Iapu/MG, vem chamando a atenção de lideranças de várias outras cidades do interior do estado, pelo baixo custo na instalação dos equipamentos e parcerias com lojistas.

Depois de receber uma comissão de João Monlevade, formada pelo vereador Guilherme Nasser (PSDB), o subcomandante da Polícia Militar da cidade, capitão Márcio Conrado e um representante da Prefeitura, na manhã de ontem (29) foi a vez do Capitão Cesar Freitas, comandante da PM, da cidade de Nova Era. O oficial foi acompanhado de técnicos da empresa FortAliança e um representante da ACIANE/CDL , para conheceram de perto o sistema implantado lá, visando a instalação de um sistema semelhante no centro comercial de Nova Era.

Segundo Cesar Freitas, o projeto será constituído, também através de uma parceria entre a Polícia Militar, Prefeitura e Associação Comercial. “A visita foi muito proveitosa, pois embora já tivéssemos uma idéia de como fazer, no que tange à técnica e aos equipamentos utilizados, os técnicos de Nova Era não conheciam a sistemática do projeto, o que agora ficará mais viável levarmos um projeto similar para frente tanto em Nova Era quanto em Bela Vista de Minas”, disse o capitão.

Na parte da tarde Cesar Freitas, e demais integrantes da comissão que visou à cidade de Iapu, estiveram reunidos com o prefeito Benito de Araújo, onde foi apresentado o projeto para instalação do vídeo monitoramento na cidade. Segundo Freitas o projeto também foi apresentado ao prefeito de Bela Vista de Minas, Wilber de Souza, que segundo o militar, demonstrou grande interesse em sua implementação na cidade.

Em Iapu o projeto conta com 15 câmeras que cobrem praças, ruas e avenidas da cidade. Para sua implantação, o Projeto contou com parcerias entre a Prefeitura Municipal, Polícia Militar, Associação Comercial e Conselho Municipal de Segurança Pública (Consep). As imagens em alta definição, são enviadas via rede Wi-fi, e ficam gravadas no próprio equipamento, por até 60 dias, e podem ser visualizadas a qualquer momento pela polícia.

Adolescentes são assaltadas em João Monlevade quando seguiam para a escola

Um menor de 15 anos foi apreendido no final da manhã de ontem (29) após um assalto duas adolescentes quando seguiam para a escola, por volta das 06h30.

Segundo a Polícia Militar as vítimas contaram que dois elementos em uma motocicleta teriam passado por elas, e em seguida retornaram e anunciaram o assalto. O autor que estava na garupa do veículo simulou estar armado, enquanto o comparsa permanecia na motocicleta. As jovens não souberam informar que tipo de arma os marginais usavam, ou se realmente se tratava de uma arma de fogo.

De acordo com a polícia, um dos autores foi reconhecido por uma das vítimas, porém, ele negou e disse que estava em casa dormindo. A mãe do suspeito teria confirmado sua versão.

O menor, então, passou a ameaçar a vítima por tê-lo acusado do roubo. A suposta arma e os celulares roubados não foram localizados. O menor foi apreendido e encaminhado a Delegacia de Polícia Civil de João Monlevade, onde após ser ouvido foi liberado.

Família procura por parente desaparecido em João Monlevade

A família de Giliard Gomes Calixto, 33, morador da Rua “B”, no Bairro Santa Cruz, está a sua procura. Ele está desaparecido desde a tarde de ontem (29).

Um cunhado da vítima contou para a Polícia Militar que estava, juntamente com Giliard Gomes na cidade de Santa Bárbara, onde ambos trabalhavam com vendas de aparelhos eletro/eletrônicos. Quando retornavam para João Monlevade, pararam em um bar as margens da rodovia MG 129, entre as cidades de Santa Barbara e Barão de Cocais, para fazerem um lanche, e que em determinado momento seu cunhado lhe pediu as chaves do carro para pegar uma blusa de frio, e que aproveitou para ir ao banheiro, porém ao retornar não encontrou mais seu cunhado e nem mesmo o veículo.

Segundo o solicitante, foi informado por outros frequentadores do estabelecimento, que seu cunhado havia saído no veículo na companhia de uma mulher conhecida como "Ana Paula". Ainda de acordo com o solicitante, ouviu os frequentadores do bar dizendo que a tal "Ana Paula" é conhecida na prática de roubo. O desaparecido saiu sem nenhum meio de comunicação, bem como disse que realizou contato com todos os familiares possíveis, porém ninguém sabe do seu paradeiro.

Giliard teria saído num veículo VW/Gol de cor verde, placas GXZ-8699.

Moradores do Areia Preta fazem novo protesto para execução de obra

Como programado na semana passada, moradores do bairro Areia Preta realizam novo protesto próximo ao local onde há mais de um ano parte de barranco cedeu levando junto metade da pista da avenida Getúlio Vargas.

O trânsito no local desde as 07h é feito em apenas uma das pistas.

A mobilização que ocorre de forma pacífica chama atenção das autoridades para o problema e exige a execução da obra da cratera. O reparo da pista chega a R$ 4 milhões e a Prefeitura anunciou não dispor de verba.

Segurança pública é discutida em audiência pública na Câmara de João Monlevade


Atendendo a requerimento do vereador Guilherme Nasser (PSDB), aprovado por unanimidade pelos outros oito vereadores que compõem o Legislativo Municipal, foi realizada na manhã desta segunda-feira (29), uma Audiência Pública, sobre segurança pública, que teve um fato inusitado até o momento, que foi reunir em uma única reunião, os três poderes constituídos, Legislativo, Executivo e o Judiciário.

Estiveram presentes, o deputado estadual Tito Torres (PSDB), o prefeito Teófilo Torres (PSDB), o Juiz Rodrigo Braga Ramos, da Comarca de João Monlevade, o promotor de Justiça Rodrigo Augusto Fraga de Almeida, major Jayme Alves da Silva, comandante da 17ª Companhia Polícia Militar Independente, o Delegado Regional, João Octacílio da Silva Neto, da 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil, Inspetor Francisco de Assis Soares Silva, da 3ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal. Vereadores e secretários municipais, também marcaram presença, além de representantes da Câmara e da Prefeitura de Itabira.

O major Jayme apresentou os números referentes à criminalidade nos últimos quatro anos, que mostraram uma oscilação no período, com tendência a queda.

Jayme Alves destacou que, João Monlevade por ser cidade pólo e por estar às margens da BR-381, registrou números maiores nas ocorrências de furtos, roubos, homicídio, tentativas de homicídios e apreensão de armas de fogo nos últimos anos, sendo o roubo o problema com maior incidência. Os meses mais críticos foram março, abril e maio, onde foram registrados 25, 45 e 28 casos respectivamente. No mês de junho, até o dia 29 foram registrados 13 casos.

Foram registrados 13 homicídios consumados na cidade, uma média de dois por mês. Somente no mês de maio foram cinco assassinatos.

 Os furtos tiveram uma queda em comparação aos seis primeiros meses do ano de 2012, onde foram registrados 516, para 477 em 2015 no mesmo período. “Os números estão caindo em resposta aos trabalhos e ações das polícias em parceria com o poder judiciário”, pontuou o oficial.

Segundo ele dos 20 nomes levantados, que são contumazes no crime, 16 estão presos.
Os menores infratores foram apontados como sendo os principais responsáveis pela prática de crimes na cidade, na maioria dos casos, os roubos e furtos. Em quase todos os casos são reincidentes e por falta de vagas nos centro de internação, acabam retornando para as ruas e voltam a cometer crimes, gerando um ciclo vicioso. “Eu tenho seis nomes em mente aqui de menores, um deles responsável por 10 roubos e dois homicídios, ocorridos fora de Monlevade, que estão nas ruas por falta de vaga para internação”, disse o major.

Jayme Alves disse ainda que as drogas estão relacionadas diretamente em todos os outros tipos de crime.

O promotor criminal e da Vara da Infância e Juventude, Rodrigo Almeida endossou a fala do major e afirmou também que os problemas com os adolescentes infratores são sociais e relacionados também ao tráfico de drogas. “As drogas e o álcool ‘puxam’ outros crimes”, disse.
Ainda segundo Rodrigo Almeida, outro problema grave que dificulta os trabalhos da polícia e da Justiça, é a emissão de Carteira de Identidade desordenada em todo o país. “Vocês sabem como é que funciona a Carteira de Identidade no Brasil? Cada estado tem a sua, eu tenho duas, porque sou de São Paulo. Tem gente que tem até cinco Carteiras de Identidade. O nosso sistema de combate ao crime é tão ridículo, nacionalmente falando, que uma pessoa tem uma Carreira de Identidade na Bahia, em São Paulo e outra em Minas. A polícia de São Paulo não sabe da Carteira da Bahia, a da Bahia não sabe da de São Paulo, ou seja, como a gente ta falando em combater a criminalidade se a própria união federal está preocupada em unificar a Carteira de Identidade e é muito fácil. O CPF já é unificado, ou seja, ninguém se preocupa. O delegado pega um criminoso da Bahia aqui, por exemplo, ele não vai ter os dados dele de lá, ou de crimes cometidos por ele em outros estados como São Paulo, Pernambuco, e são estados próximos”, disse.
O promotor elogiou a iniciativa da Câmara em promover a audiência pública e sugeriu que o tema fosse melhor abordado, e propôs a realização de uma semana voltada para debater o assunto relacionado à segurança pública.

“A maioria dos autores de crimes estão presos. O que existe hoje são atos praticados por adolescentes devido a falhas nas medidas aplicadas pelos atos infracionais. É preciso que isto seja revisto no âmbito estadual, pois faltam vagas no sistema”, pontuou o juiz Rodrigo Braga Ramos.

Outro dado importante, porém preocupante, apresentado pela comandante da Polícia Militar foi o número de militares que atuam na 17ª Companhia de Polícia Militar. Segundo ele seriam necessários 325 policiais, no entanto são apenas 214, para atender as 10 cidades da região do Médio Piracicaba, com aproximadamente 180 mil habitantes. Um déficit de 34%, ou 111 militares.

Em João Monlevade são 109 policiais para cobrir toda a cidade.
Em 2012 a média em todo o estado de Minas Gerais, era de 01 policial para cada 437 pessoas, segundo dados do governo estadual.

Algumas ações estão sendo adotadas pela Polícia Militar para combater a criminalidade no município como, a setorização da cidade, em três regiões. O setor 1 responsável pelo cetro comercial, o setor 2 na região do bairro Cruzeiro Celeste e o setor 3, que abrange o bairro Loanda e região.

Outras ações como monitoramento eletrônico, reativação do CONSEP, Ciclo Patrulha, Viatura de Prevenção Ativa, Patrulhamento Rural, Proerd, Patrulha Escolar, viaturas Tático Móvel, GIRO e Moto Patrulhamento.

Outra medida adotada pelo comando é o uso de redes sociais como o WhatsApp, onde foram criados três grupos, com cerca de 300 comerciantes que avisam, instantaneamente, sobre a presença ou ação de pessoas suspeitas. Ao todo são cerca de 300 pessoas, que usam o aplicativo para este fim.  “Os membros repassam as informações para a polícia, que vai até o local e aborda o indivíduo. Com isso estão ocorrendo mais prisões e os menores que aprontam na área central já perceberam a presença da polícia”, ressaltou o comandante.
 
O monitoramento eletrônico, conhecido como “Olho Vivo”, é mais uma medida que vem sendo estudada pela Polícia Militar, em parceria com entidades locais, e poderá ser colocada em prática em breve na cidade. 

O prefeito Teófilo Torres respondendo a uma pergunta da soldado Bruna, da Polícia Militar, sobre a volta de projetos nas escolas, para retirar os jovens das ruas, como artes e cursos de computação. “Cabe nós o Poder Público também de dar oportunidades, seja nas escolas como temos feito com aulas de música e com esportes. Nós temos um projeto hoje, que nós vamos retomar de atletismo no estádio, junto das secretarias de esporte, educação, saúde, assistência social. Então são ações que realmente visam além de saúde, esporte e lazer, também tirar essas crianças das ruas”, disse o prefeito.  Outra atividade que vem sendo realizada pela prefeitura, segundo Teófilo Torres, é a volta de brincadeiras de rua antigas, que vem sendo realizadas todas as tardes de sábado, no final da Avenida Castelo Branco, no Bairro República.
 
O deputado Tito Torres falou da deficiência de vagas para internação de menores infratores no estado. “Realmente são muito poucos vagas para internação no estado. Em 2002 eram 07 Centros Sócios Educativos e hoje temos 33 no estado. É pouco mas houve um avanço, então agora depende de prioridades que o Governo do Estado vai colocar neste seguimento. A gente sabe que não depende só do governo, o Governo Federal precisa mandar recursos para o Estado, para estamos podendo ajudar na segurança pública”, disse.

Para o presidente da Câmara, o vereador Djalma Bastos (PSD), uma das soluções para amenizar os problemas da população carcerária na região, seria a ampliação das Apacs (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado). “Eu nã ovejo outra saída, a nã oser a nova formação da Apac, um trabalho mais acentuado. O preso ele é responsável por si só. Quem não conhece o sistema da Apac, deveria conhecer. Não existe um trabalho, que eu tenha acompanhado que não seja a Apac. É preciso de um investimento maior. O custo é menor e a capacidade de ressocialização é quase 100%”, pontuou Bastos.
 
Ao final o promotor Rodrigo Almeida avaliou positivamente a realização da audiência. “Apesar de ter sido uma audiência um pouco breve, por causa do horário, acho que foi bastante positiva com muitas contribuições da coletividade, e espero que no futuro tenhamos uma audiência pública um pouco maior para que a gente possa discutir o temo com um pouco mais de profundidade”, concluiu.

Guilherme Nasser, autor da proposta da audiência pública, disse que os trabalhos foram satisfatórios. “Foi muito positiva a audiência. Nunca presenciamos o Judiciário aqui, um Juiz e um Promotor, de forma participativa, trocando idéias com a população e ouvindo sugestões. Essa questão de segurança pública é um dever do estado, mas uma responsabilidade de todos nós, e pensando nisso propomos esta audiência e acho que cumprimos o papel de dar voz ao cidadão. Vamos nos reunir nos próximos dias com a Polícia Militar para terminar o pré projeto de monitoramento por câmeras, e sentar com o Executivo para finalizar este projeto e buscar parcerias”, disse Nasser.
 

“Vejo como muito positiva, principalmente com relação às informações. Por sorte hoje pude trazer aqui os números que comprovam que a normalidade esta sendo retomada. Os crimes continuam, e falei aqui que chegar ao número zero é muito difícil, mas um número exorbitante nós não podemos admitir. Estamos trabalhando bastante, cada um dando a sua parcela de contribuição e a Polícia Militar está muito satisfeita com o trabalho realizado aqui e todos que participaram estão de parabéns”, disse o major Jayme Alves sobre a audiência pública.   

Monlevadenses morrem a caminho do Mineirão


Duas pessoas que estavam em um Chevrolet Celta morreram na manhã deste domingo (28), na batida entre o veículo e um caminhão-tanque, na BR-381, em Caeté, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu na altura do KM 429, próximo ao Trevo de Caeté. 

Torcedores apaixonados, os amigos Bráulio Inácio Corrêa, 26, e Carlos Henriques Gomes, 21, tinham saído no início da manhã do município de João Monlevade,  onde moravam, com destino ao Mineirão para assistir ao jogo entre Atlético e Joinville pela nona rodada do Brasileirão.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o carro dirigido por Gomes ficou preso na frente do caminhão e chegou a ser arrastado por mais de 20 metros. Os dois ocupantes morreram na hora. O helicóptero Arcanjo esteve no local e um médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou os óbitos.

Dirigindo o caminhão que bateu com o Celta, Rômulo da Costa Neto, 37, disse  que subia a rodovia com destino ao município de Raul Soares, na Zona da Mata, quando foi surpreendido pelo carro que invadiu a contramão. "Parece que dois pneus dele tinham estourado, aí ele rodou e veio sem controle na minha direção. Tentei sair fora e jogar o caminhão para cima do barranco, mas não deu. Ele estava veloz", disse Neto. No local do acidente, não há acostamento para quem segue no sentido Vitória.

O caminhão, da empresa Laticínios Deleite, estava descarregado. O motorista explicou que havia feito entrega de leite no início da madrugada na região de Ravena, em Sabará, e, após dormir na cidade, seguia vazio até Raul Soares. "Foi um susto, deu aquele tranco na hora. A Polícia Rodoviária Federal acionou os bombeiros mas quando eu desci do caminhão vi que já não dava mais tempo", lamentou Neto, que não se feriu.
Com a batida, o carro ficou completamente destruído. "Uma vítima foi retirada facilmente, mas a oura, que estava no banco do passageiro, ficou bem encarcerada às ferragens e foi preciso cortar o veículo para a retirada do corpo", explicou o tenente Fernando Luiz Teixeira, do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros. 
A pista ficou completamente fechada por cerca de meia hora para atendimento. Por volta das 8h30, o local foi parcialmente liberado e apenas uma faixa permaneceu interditada para os trabalhos da perícia. Só às 11h, com a retirada dos veículos da via, o tráfego voltou ao normal. A Polícia Rodoviária Federal não soube informar a extensão da retenção de veículos.

 Braúlio Inácio Corrêa, 26 anos  e Carlos Henrique Goimes. 21 anos serão sepultados no final da manhã de hoje.

Powered by Blogger